Origem e significado do véu, da grinalda e do vestido de Noiva

Qual a origem do véu?
Os antigos gregos e romanos iniciaram a tradição do véu da noiva.
A noiva é “o alvo preferencial dos maus espíritos “. Era esta a crença pagã de onde provêm grande parte das superstições ligadas ao dia do casamento.
Assim sendo, a noiva cobria o rosto com panos (o que deu origem ao nosso véu da noiva) e fazia-se acompanhar de mulheres vestidas de igual modo e com um bouquet semelhante ao dela, de forma a enganar esses maus espíritos e impedi-los de reconhecer a noiva (o que deu origem às damas de honra). Também com o intuito de afugentar os maus espíritos, se prendiam diversos utensílios de metal, como canecos, à carruagem nupcial, o que resultou atualmente nas latas que se penduram ao carro dos noivos.
O termo “véu” surge em referência à Deusa Vesta, a protetora do lar na mitologia greco-romana.

Com o surgimento do cristianismo o uso do véu, que estava amplamente enraizado na população, não foi retirado mas simplesmente adaptado: passou a ser interpretado como sinal de castidade e modéstia.

Em árabe, “véu” se diz “hijab” e significa “o que separa duas coisas”, representando a separação da vida de solteira, para entrar na vida de casada.

Em diferentes culturas muitas noivas ainda escondem o belo rosto por detrás do véu, sendo que, só depois da cerimônia é permitido ao noivo levantar o véu e conhecer o rosto da sua mulher.

Os noivos judeus levantam o véu da noiva antes do início da cerimônia. Dá sempre jeito de verificar com quem se vai casar!

A Grinalda:
A grinalda diferencia a noiva dos convidados. Quanto maior a grinalda, maior é o símbolo de status e riqueza.

O vestido da noiva:
Na Grécia e em Roma, existem relatos de que as pessoas usavam roupas brancas em celebrações importantes, como o nascimento e o casamento.

Na Idade Média, não havia cor específica para a cerimônia sendo a cor mais usada o vermelho (simbolizava o sangue novo e a energia necessária para perpetuar a família.
Ainda hoje em dia, as noivas chinesas vestem-se de vermelho, pois na China antiga significava o amor e a alegria), o verde ou o preto. Sendo esta última, a cor típica do vestido de casamento em Portugal, antes do século XX.
A tradição ocidental da cor branca do vestido de noiva só foi iniciada e popularizada em Inglaterra em 1840, pela Rainha Victoria, no seu casamento com o príncipe Alberto. Altura a partir da qual, a realeza europeia adotou o vestido branco em definitivo. O branco simboliza a castidade e a pureza
Superstições quanto ao vestido:
Atualmente, se o vestido não for branco, pode ser azul mas nunca preto (simboliza a morte) ou verde (pois está associado à infidelidade).

A noiva não deve participar da confecção do seu próprio vestido, nem deve fazer mais do que uma prova do vestido, nem vesti-lo completamente pronto antes do dia do casamento (difícil é experimentar somente uma vez…).

Nenhuma mulher presente na cerimônia deverá usar um vestido mais comprido que o da noiva (isto fica complicado com os vestidos das noivas cada vez mais curtos que há no mercado!…).

Fonte site: http://www.astrologosastrologia.com.pt

Fechar Menu